Bianca Bracho: Mulheres Brasileiras x Mulheres Argentinas -->

Mulheres Brasileiras x Mulheres Argentinas










Queridos e Queridas,
Depois de escrever sobre as minhas impressões sobre os homens brasileiros e homens argentinos, o Lucas se interessou e decidiu contar para nós o que acha sobre o assunto.
Espero que gostem!

------------------------------------------------------------------------------

No começo só quero dizer que é a primeira vez que vou escrever desse assunto, eu sou argentino e gosto muito da cultura brasileira. Depois de me topar com o post da Bianca, eu senti inspiração pra contar minha história mas desde o lado dos homens em relação as mulheres argentinas e brasileiras.


1) Xaveco (piropos):
Argentinas: na verdade a mulher argentina acho que é a mais difícil de abordar já que acho que são muito seletivas na hora de receber piropos (xavecos). Com o assunto de “nenhuma menos” (não é não no Brasil) a situação tá meio difícil pra xavecar direito!
Brasileiras: Dependendo a situação que você esteja, eu acho a mulher brasileira muito mais receptiva e com predisposição pra falar se você começa xavecar.. Acho que é uma coisa cultural de ser pessoas abertas pra falar, pelo menos essa é minha impressão.
Obs: como fato, eu posso dizer que pode continuar o xaveco até conseguir o telefone em minutos com um possível “crush brasileiro” se ela coloca cara de 🤤 enquanto você começa falar com sotaque de fora. Essa é minha dica pra vocês 💪🏻


2) Primeiro encontro:
Argentina: geralmente pode fechar pra sair com dois ou três dias antes de a gente se ver. Se não com certeza que vai ficar sem sair se não concreta o date assim. Não gostam de fechar de um dia pra outro e também não com muita antecedência. Geralmente a primeira saída pode ser alguma coisa pra compartilhar na tarde (merienda não lembro como é que se diz) ou algum barzinho à noite por Palermo.
Brasileiras: Se uma brasileira promete uma segunda que quer sair na sexta com você, acredite na palavra dela seguro você vai dar certo meu amigo! Toma a iniciativa e sempre proponha um bom lugar, que com atitude e o jeito de falar como argentino vai ter sucesso 👍🏻


3)Reais intenções:
Argentinas e brasileiras: Pelo menos eu sempre vou com a intenção de curtir o momento do encontro, sem importar o lugar que seja.. Quando falo de curtir significa manter um bate papo interessante pra a gente se conhecer e só deixar fluir.


 4) Desaparecimento:
Argentinas e brasileiras: Acho que é um comportamento normal das pessoas quando não dá pra continuar se conhecendo. Eu quando não rola o assunto tento ser uma pessoa que não força as situações.
Acho que aqui joga o fator importante que é a humildade em dizer hoje não é pra mim.. pessoal, a humildade e sinceridade com um mesmo é a ferramenta mais poderosa que você tem. 
Garotas, aqui va uma pergunta pra vocês: se você gosta dele e desaparece, o que ele estaria te refletindo em você? Que aprendizagem pode tomar disso? 


5)Saídas
Argentinas e brasileiras: Acho que se você tem uma real intenção de conhecer a mulher, independentemente se é argentina ou brasileira.. qualquer uma aceita alguma saída durante a semana ou fds.
Obs: com uma argentina no começo não seja muito acelerado em combinar uma segunda saída tão perto do dia que você conheceu ela porque com certeza vai sumir.. essa foi minha experiência.


6) Questionar sobre a relação:
Argentina: Eu só perguntei uma vez em minha vida pra uma argentina e acabou sendo minha namorada nesse momento haha.
Brasileira: Continuando com minha sinceridade, 3 vezes me perguntaram e o resultado foi parecido com a nossa amiga Bianca.. eu não aceitei e sumi. Sendo um pouco autocrítico, tal vez não foi o momento pra a gente estar juntos ou eu não estava preparado.
Em definitiva é uma pergunta que pode separar ou unir.. só tem que estar preparado pra escutar!


Moral da história:
Irmão, não sei se existe a mulher perfeita.. independentemente se é argentina ou brasileira.
Eu considero que se as duas pessoas estão na mesma conversação, alineadas e os dois estão preparados pra ficar juntos, vai acabar sendo assim.
Às vezes quando não dá certo nós costumamos perguntar o que estou fazendo mal? Acho que se muda a pergunta, suas respostas também.
Por enquanto, eu sempre me faço a pergunta de qual aprendizagem me deixou essa experiência que eu vivi. E ali tomo o que preciso e o que não, eu jogo no lixo como dizem os brasileiros.
Espero que gostem do texto como eu gostei de escrever!
Qualquer dúvida, só entrar em contato.
Abraço 🤗


Texto de: Lucas Cutro


--------------------------------


Gostaram? se interessam por textos assim?


Me avisem, assim posso preparar mais textinhos legais e sob pontos de vistas diferentes.


Beijos Beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *